Zimmermann estipula prazo para definir se a luta do Botafogo-PB é pelo G-4 ou contra o descenso

No primeiro turno, em pleno Estádio Almeidão, o Botafogo-PB foi derrotado pelo Santa Cruz — Foto: Rafael Melo / Santa Cruz
Três jogos. Esse é o prazo que o técnico Rogério Zimmermann estipulou para o Botafogo-PB conhecer qual será a sua luta na reta final da Série C do Campeonato Brasileiro. Para ele, os confrontos com Santa Cruz, fora de casa, além de Jacuipense e Imperatriz, ambos em João Pessoa, serão cruciais para o Belo entender se vai brigar para fugir da zona de rebaixamento ou se ainda vai ter chance de mirar o G-4 do Grupo A e a consequente classificação para a segunda fase. O treinador ainda comentou a situação de Léo Moura, a queda de rendimento no sistema defensivo e, é claro, a partida deste domingo contra a Cobra Coral.
Rogério Zimmermann considera complicado cravar qualquer prognóstico sobre o destino do Botafogo-PB na Série C. O Belo tem a segunda pior campanha do Grupo A, é nono colocado, soma 11 pontos e venceu apenas duas vezes na competição. A trajetória botafoguense na chave, até então, só não é pior que a do Imperatriz, clube maranhense que possui um ponto e protagoniza uma das piores campanhas da história da Terceirona.
E, para evitar qualquer avaliação antecipada, o técnico do Botafogo-PB prefere somar o maior número de pontos possível até o encerramento da 14ª rodada.
É uma pergunta difícil, mas eu acho que as próximas três partidas vão ser cruciais. Então daqui a três rodadas eu posso afirmar com mais segurança. O fato é que agora nós precisamos pontuar, sem garantir para que lado nós vamos. E, antes de pensar em cima, temos que sair da posição em que estamos
— Rogério Zimmermann.
Nos dois primeiros jogos do returno, o Botafogo-PB venceu o Ferroviário por 2 a 1 e perdeu para o Manaus pelo placar de 3 a 2. Após os dois resultados, Rogério Zimmermann entende que o time melhorou no sistema ofensivo, marcando quatro gols em duas partidas. Para se ter uma ideia, para conseguir fazer a mesma quantidade de gols no primeiro turno, o Belo precisou de sete jogos.
Em compensação, a defesa é quem está preocupando, já que foram quatro gols sofridos diante do Tubarão da Barra e do Gavião do Norte. No primeiro turno, o Alvinegro da Estrela Vermelha sofreu nove gols em nove partidas.
Diante desse desequilíbrio, Rogério Zimmermann afirma que o setor defensivo está dando dor de cabeça, muito pelos gols sofridos em lances de bola parada.
– Sempre preocupa. Embora a gente saiba que todos os jogos que estamos vendo das séries A, B e C, gols de bola parada acontecem. Mas isso preocupa, porque é treinado. E na última partida não foram muitas bolas paradas que resultaram em gols do Manaus. Pelo contrário, o time foi muito efetivo no jogo. Agora é curioso observar como é difícil encontrar um equilíbrio, porque, no momento que caímos no sistema defensivo, melhoramos o sistema ofensivo. No primeiro turno, precisamos de sete partidas para fazer quatro gols. Agora, após dois jogos de returno, já marcamos os mesmos quatro gols. Mas não só fizemos quatro gols, criamos muitas chances contra Ferroviário e Manaus – disse.
Neste domingo, o Botafogo-PB vai ter uma missão complicadíssima. Afinal, vai visitar o Santa Cruz, que é líder do Grupo A, no Estádio Arruda, em Recife. A partida é complicada, mas Rogério Zimmermann confirma que vai em busca da vitória.
No futebol, é preciso ter efetividade. Eu não consigo não pensar em não entrar em campo para ganhar. Até porque, no momento, os campos são neutros, não existe mais isso de dentro ou fora de casa. Isso contra qualquer adversário. Os números mostram como o nosso adversário é forte, mas a ideia de buscar a vitória é fundamental. Eles são agressivos e seguiram fortes mesmo com a troca no comando. Além disso, eles vêm de resultados expressivos. Mas cada equipe tem a sua necessidade, e temos que buscar a nossa pontuação – analisa o treinador botafoguense.
E Léo Moura?
Nome mais badalado do atual elenco do Botafogo-PB, Léo Moura segue sem engrenar na equipe. O ex-jogador de Grêmio, Santa Cruz e Flamengo até conseguiu emplacar uma sequência após um longo período lesionado, mas é apenas um coadjuvante no time de Rogério Zimmermann.
Na última semana, o jogador, que tem atuado como meia sob o comando do gaúcho, voltou a trabalhar como lateral, coisa que não estava acontecendo. Rogério Zimmermann explicou que, com a qualidade de Léo Moura, gosta de vê-lo atuando no meio de campo. No entanto, as urgências podem recolocá-lo na sua função de origem.
Ele estava treinando como meia, como atuou contra Treze e Ferroviário. Ele não vem treinando como lateral, porque treinou a carreira toda nessa função. Na semana passada, nós tivemos dois problemas: Marcos Martins e Christianno, e aí Léo (Moura) treinou na lateral. Só que Martins aguentou jogar, mas ele possui dois amarelos, por isso, pode ficar suspenso a qualquer momento. Aí eu vou ter que ter mais uma opção além de Kellyton pela direita. Nesse cenário, Léo Moura é a pessoa certa – completou.
Santa Cruz e Botafogo-PB medem forças às 18h deste domingo, em Recife. O Tricolor possui 13 pontos a mais que o Belo e está próximo de se classificar para a próxima fase. Enquanto isso, os visitantes entram muito pressionados, pois não demonstram um grande poder de reação para mudar o cenário.

Por Cisco Nobre 
GE João Pessoa
Share on Google Plus

Inicio Esporte do Vale

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador