RIO 2016: Brasil vence Colômbia em jogo violento e fica a um passo da final olímpica

Foram sete cartões amarelos, mais de 30 faltas e, ao fim de tudo isso, o Brasil está na semifinal dos Jogos Olímpicos. Passada a turbulência dos dois primeiros jogos, a seleção de Rogério Micale jogou de forma confiante, superou um jogo violento e tenso contra a Colômbia e venceu por 2 a 0 na noite deste sábado (13), na Arena Corinthians.
O primeiro gol foi de Neymar, em cobrança de falta, aos 12 minutos do primeiro tempo. Luan, em linda finalização aos 38 minutos do segundo, fechou a contagem.
O Brasil agora vai, enfim, para a terra da Olimpíada. A semifinal na quarta-feira (17) é no Maracanã, contra Honduras - adversário que foi batido nas quartas de final de Londres-2012 por 3 a 2. Já a Arena Corinthians recebe Alemanha x Nigéria, que duelam pela outra vaga na final.
Neymar desequilibra, encerra jejum e troca faltas duras após entorse
O atacante brasileiro assumiu o papel de protagonista: marcou pela primeira vez na Olimpíada já aos 12 minutos, o que deu um pouco de tranquilidade para a seleção. Foi o primeiro gol dele com a camisa amarelinha desde setembro de 2015. Além disso, em dois jogos na Arena Corinthians pelo Brasil, alcançou três gols. Mas, irritado após uma falta dura, Neymar "jogou gasolina" e protagonizou confusão com colombianos.
Os melhores: Marquinhos e Rodrigo Caio
Se o Brasil vai à semifinal como a melhor defesa da Olimpíada, uma boa parte disso se deve a seus dois zagueiros. Ainda sem serem vazados após 360 minutos de jogo, Marquinhos e Rodrigo Caio trabalharam demais contra os atacantes colombianos. Muitas vezes no mano a mano, quase sempre venceram os duelos. Com dificuldade para entrar na área, a Colômbia passou a arriscar chutes de fora, mas não assustou Weverton.
O pior: Gabriel
Destaque da seleção brasileira na primeira fase, em especial nos momentos mais difíceis contra Iraque e África do Sul, o atacante do Santos foi mais apagado desta vez. Não só ele, mas também o lateral direito Zeca, em setor que funcionou menos que o normal diante da Colômbia.
Gabriel Jesus se solta e distribui dribles
Depois de se cobrar bastante por gols perdidos nos dois primeiros jogos, Gabriel Jesus definitivamente se soltou na Olimpíada. Novamente pela ponta esquerda, foi figura ativa no ataque brasileiro e protagonizou lindo lance contra Andrés Roa, com dois dribles seguidos entre as pernas.
Micale consolida equipe titular e aproxima Brasil de uma medalha
Se o treinador brasileiro tinha alguma dúvida em repetir a equipe titular diante da Colômbia, a vitória da seleção serviu para consolidar o formato de jogo que fez Micale superar a crise inicial na Olimpíada. Com Luan e Neymar pelo centro, o Brasil voltou a ser um time envolvente. Walace também foi mantido no meio-campo no lugar de Thiago Maia. Agora na semifinal, a equipe passa a ter boas chances de conseguir uma medalha.
Com quatro atacantes de ofício - Roa pela direita, Pabón pela esquerda e ainda Teo Gutiérrez e Preciado pelo centro -, a Colômbia tinha tudo para fazer um grande jogo em Itaquera. Adversário mais duro do Brasil na Olimpíada, principalmente porque também propôs mais ofensivamente que os outros, a equipe de Carlos Alberto Restrepo, porém, decepcionou: pareceu pouco concentrada, esqueceu do fair play e repetiu faltas duras.
Tite vai à Arena Corinthians e reforça presença da comissão principal
O ex-treinador do Corinthians e atual comandante da seleção brasileira foi à partida da equipe olímpica pela segunda vez seguida. Ele estava mais uma vez acompanhado de Marco Polo Del Nero, presidente da CBF, do coordenador Edu Gaspar e do auxiliar técnico Cléber Xavier. Notado por torcedores no intervalo, o técnico chegou a ser homenageado com gritos de "olê olê olê olê, Tite, Tite".
Ficha Técnica:
Brasil 2 x 0 Colômbia
Local: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Data: 13/08/2016
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitro: Cuneyt Cakir (Turquia)
Gols: Neymar, aos 11 minutos do 1º tempo, e Luan, aos 38 minutos do 2º tempo
Cartões amarelos: Neymar (Brasil); Palacios, Lerma, Barrios, Preciado, Miguel Borja e Teo Gutiérrez (Colômbia)
Brasil: Weverton; Zeca, Marquinhos, Rodrigo Caio e Douglas Santos; Renato Augusto e Walace; Gabigol (Thiago Maia), Luan e Gabriel Jesus (Rafinha); Neymar. Técnico: Rogério Micale
Colômbia: Bonilla; Palacios, Balanta, Tesillo e Cristian Borja; Barrios (Pérez), Lerma, Roa (Rodríguez) e Pabón; Teo Gutiérrez e Preciado (Miguel Borja). Técnico: Carlos Restrepo.

UOL
Share on Google Plus

Inicio Joao Henrique

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador