TJDF-PB suspende o Treze das competições por 6 meses pelo não pagamento de multa de R$ 4,6 mil

A multa foi por atraso em uma partida do Treze no Paraibano Feminino de 2019 (Foto: Cassiano Cavalcanti/Treze)
A pauta de terça-feira da 1ª Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB) tinha tudo para ser apenas protocolar. Nenhum caso despertava o interesse, a ponto de pouquíssimas pessoas estarem ligadas na sessão online do tribunal. Mas uma decisão pode trazer uma grande dor de cabeça ao Treze.
O não pagamento de uma multa de R$ 4,6 mil do Galo referente a uma partida contra o Mixto, pelo Campeonato Paraibano Feminino de 2019, provocou uma condenação dura: a suspensão de todas as competições oficiais pelos próximos seis meses. Evidentemente, cabe recurso. A começar pelo próprio Pleno do TJDF-PB. Mas o fato causa constrangimento e deve movimentar o PV nos próximos dias.
O Treze foi incurso no Artigo 206 do CBJD, que se refere a atraso na partida. A multa inicial pelo atraso de 23 minutos do time feminino no jogo contra o Mixto foi de R$ 2.300,00. Como não houve pagamento, o valor da multa dobrou numa segunda condenação. Depois disso, o Galo pediu o parcelamento, mas não efetuou nenhuma das quatro parcelas propostas.
O relator do processo foi Francisco Fidélis, que votou pela suspensão do Treze, além do restabelecimento da multa e da impossibilidade de novo parcelamento. A diretoria do clube também foi suspensa. Ainda de acordo com o relator, "não podemos esperar pela boa vontade dos clubes e tem casos, neste tribunal, de clubes de poder aquisitivo muito menor pagando multas religiosamente em dia".
- Acredito que isso é uma falta de respeito (Francisco Fidélis, relator do caso)
Os auditores da 1ª Comissão Disciplinar aprovaram o parecer do relator por unanimidade.
- "É impossível um clube do tamanho do Treze solicitar o parcelamento de uma multa e não honrar com os seus compromissos", disse o presidente da CD, Paulo Guedes Pereira.
Treze culpa pandemia e vai recorrer
Procurado pela reportagem, o diretor jurídico do Treze disse que já tomou ciência da decisão da 1ª Comissão Disciplinar. Warlen Andrade culpou a pandemia pelo não pagamento da multa, argumentando que as receitas do clube caíram com a falta de público nos estádios. Por isso, não houve como pagar os parcelamentos.
Warlen também questionou a decisão, dizendo que não ficou claro de quais competições o Galo está suspenso - se de todas, ou apenas da categoria feminina. Por outro lado, disse que já levou o caso para o presidente Walter Júnior para uma solução definitiva.
- Nós vamos recorrer da decisão da 1ª Comissão Disciplinar. Já havíamos feito antes, quando conseguimos o parcelamento da multa. Ela não foi paga por causa da queda da receita do clube, que foi quase a zero em 2020, com a pandemia. Com o não pagamento, foi originado um novo processo. A sentença do tribunal não fica claro, em relação à suspensão do Treze, mas vou levar o caso à diretoria para recorrermos da decisão - explicou Warlen.

Por Expedito Madruga e Raniery Soares 
GE João Pessoa
Share on Google Plus

Inicio Esporte do Vale

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador