Jogadores se manifestam e pedem justiça no caso Mariana Ferrer

Jogadores e até o Vasco se manifestaram em suas redes sociais sobre o caso (Foto: Reprodução/Montagem Lance)
O caso da influenciadora digital Mariana Ferrer tomou uma proporção muito grande nas redes sociais mais uma vez nesta terça-feira. Segundo o site "The Intercept", o promotor do caso alegou que o empresário André de Camargo Aranha não tinha como saber que a jovem estava sem condições de consentir a relação durante o ato sexual, não existindo portanto intenção de estuprar. Diante disso, alguns jogadores de futebol se manifestaram nesta tarde.
O primeiro jogador, através de sua conta no Twitter, foi o atacante Richarlison, do Everton (Inglaterra), e da Seleção Brasileira, que pediu “justiça” e também compartilhou uma publicação da atriz Bruna Marquezine, que ficou irritada com a tese do promotor Thiago Carriço de Oliveira e a decisão do juiz do caso. 
Além de Richarlison, outro jogador brasileiro também se manifestou nas redes sociais. Ex-Flamengo, Reinier, que atualmente está no Borussia Dortmund, compartilhou o mesmo comentário com relação ao fato. 
Pelo Brasil, o jogador do Internacional João Peglow também pediu justiça pelo caso da influenciadora. Além disso, destaca que "não existe estupro culposo".
O Vasco, até a publicação desta matéria, foi o único clube que se manifestou contra a decisão final do julgamento.
O CASO
O empresário André de Camargo Aranha foi acusado de estuprar a promoter de 23 anos durante uma festa em 2018. Inicialmente, Aranha havia sido condenado pelo promotor Alexandre Piazza por estupro de vulnerável, quando a vítima está sob efeitos de entorpecentes ou álcool e não é capaz de consentir ou se defender. Ele também solicitou a prisão preventiva do acusado, que foi aceita pela Justiça, mas foi derrubada em segunda instância pela defesa de Aranha.
Houve uma troca de promotores do caso, saindo Piazza e entrando Thiago Carriço de Oliveira, que em suas alegações, segundo o "The Intercept", diz que André de Camargo Aranha não tinha como saber que a jovem estava sem condições de consentir a relação durante o ato sexual, não existindo portanto intenção de estuprar. O juiz Rudson Marcos, da 3ª Vara Criminal de Florianópolis, concordou com a tese de Oliveira e absolveu Aranha.

Lance
Share on Google Plus

Inicio Esporte do Vale

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador