Após recusa inicial, Felipão aceita convite para voltar ao Cruzeiro

Felipão acerta com o Cruzeiro — Foto: Reprodução
O Cruzeiro, enfim, fechou com o novo treinador. E será Luiz Felipe Scolari, que estava sem clube há mais de um ano. Felipão, que havia recusado um convite inicial da Raposa, fechou contrato até o fim de 2022. O clube vai contar com ajuda de um patrocinador para pagar os salários do treinador.
As negociações foram conduzidas no Rio Grande do Sul, onde Felipão mora. Sérgio Santos Rodrigues e Deivid não retornaram de Atibaia com a delegação do Cruzeiro, nesta quinta-feira. José Carlos Brunoro, que trabalhou com o treinador no Palmeiras, também participou das tratativas.
A expectativa é de que Felipão retorne para a capital mineira junto dos dirigentes, para acompanhar a partida desta sexta-feira, contra Juventude, pela 16ª rodada da Série B, das arquibancadas do Mineirão.
O projeto do Cruzeiro, com contrato longo, ajudará Felipão a realizar um desejo antigo: trabalhar no campo e, depois, virar um "manager". Projeto, este, que ele já ambiciona desde quando foi contratado pelo Grêmio, em 2014.
- 11 - disse o treinador, em vídeo divulgado pelo Cruzeiro
Felipão chegará à Toca da Raposa para ser o substituto de Ney Franco, demitido no último domingo. Na segunda-feira, o treinador recusou a investida da diretoria celeste, mesmo tendo desejo de retornar aos trabalhos neste momento.
Do início da semana até esta quinta, o Cruzeiro teve propostas recusadas também por Lisca, do América-MG, Umberto Louzer, da Chapecoense, e Marcelo Chamusca, do Cuiabá. Os três fazem campanhas boas na Série B.
É exatamente nessa competição que Luiz Felipe Scolari terá de fazer um “milagre” com o Cruzeiro, que está em 19º, com apenas 12 pontos em 16 partidas. Uma arrancada rumo ao G-4, nesta situação, jamais aconteceu na Série B, que é disputada no modelo de pontos corridos desde 2006.
Entre todos os consultados e cogitados pelo Cruzeiro, nenhum é mais vitorioso que Felipão. O treinador pentacampeão da Copa do Mundo com a seleção brasileira retorna ao Cruzeiro depois de quase 20 anos. Entre 2000 e 2001, ele dirigiu o time em 75 partidas, com 40 vitórias, 23 empates e 12 derrotas. Foi campeão da Copa Sul-Minas de 2001.
Felipão será o quarto treinador do Cruzeiro na temporada. Além de Ney Franco, o time já teve Adilson Batista e Enderson Moreira. Nenhum deles conseguiu engrenar a equipe, que sofreu eliminações precoces na Campeonato Mineiro e na Copa do Brasil.
Na Série B, depois de 15 rodadas, a Raposa ocupa a penúltima posição, com 12 pontos. Hoje, as chances de acesso são de apenas 1,1%, segundo o site Probabilidades no Futebol, da Universidade Federal de Minas Gerais, A possibilidade de rebaixamento à Série C é de 52,5%.

Por Pedro Rocha 
GE Belo Horizonte
Share on Google Plus

Inicio Esporte do Vale

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador