COVID-19: Sindicato de Atletas de SP ameaça ir à Justiça para interromper Brasileirão

 
Jogadores de todos os clubes da Série A estão sendo testados antes dos jogos (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)
Com o coronavírus ainda sendo uma realidade no país, o Sindicado de Atletas de São Paulo ameaça ir à Justiça para pedir a paralisação do Campeonato Brasileiro, iniciado no último final de semana, caso a CBF não modifique os protocolos de segurança previstos no retorno da modalidade.
No ofício enviado à entidade, o Sindicato aponta duas opções para a realização do torneio: isolamento das delegações por até sete dias antes dos compromissos em campo (a exemplo do que aconteceu na Alemanha) e/ou a criação de uma “bolha” para que os atletas não sejam prejudicados (caso da NBA, que está confinada em Orlando).
Assim, ou isola as delegações por uma quantidade de dias antes de cada partida, quantidade de dias que seja capaz da obtenção dos resultados das testagens de forma segura, ou se cria a “bolha” e isola de vez delegações durante toda a competição – diz o documento.
O ofício vem em um momento complicado no futebol do país. No final de semana, deu-se o pontapé inicial no Campeonato Brasileiro, porém, o jogo entre Goiás e São Paulo, no domingo, acabou não acontecendo porque dez atletas (e depois nove, na contraprova) testaram positivo para coronavírus.
Nesta terça-feira, dois atletas do Corinthians foram afastados pelo mesmo motivo (Gil e Léo Natel), assim como do Atlético-GO (quatro casos). No jogo entre Chapecoense e CSA, pela Série B, o time alagoano perdeu 18 atletas na testagem e o compromisso foi adiado.
No documento escrito enviado à CBF, não há menção ao acionamento na Justiça, porém, no site do sindicato, o fato é mencionado. Confira abaixo a nota completa, que finaliza dizendo que “O Sindicato de Atletas SP espera que a CBF, ao menos dessa vez, surpreenda e faça a coisa certa: :
Como já se sabe, o Sindicato de Atletas SP sempre foi o responsável pelos avanços que se propõem a preservação da saúde dos atletas de todo o país, afinal São Paulo é a capital das conquistas dos atletas profissionais.
Parada para hidratação durante os jogos incluindo os campeonatos nacionais até a Copa do Mundo 2014; período de férias de 30 dias consecutivos, mudança de horário dos jogos no verão, período de pré-temporada, intervalo de descanso entre jogos de 66 horas (não o de 48 h), são conquistas resultantes de árduo trabalho de mentoria do Sindicato de Atletas SP, seja através de exaustivas negociações ou de longas disputas judiciais.
Desde o início da pandemia do Covid-19, a entidade paulista vem participando ativamente das discussões e planejamento que levaram o Campeonato Paulista da Série A1 ao seu desfecho exitoso, inclusive representado por um profissional médico de extrema qualidade, Dr. Renato Anghinah, que fez parte da equipe médica que elaborou o melhor protocolo de retorno do futebol.
Além da divisão principal, o sindicato também trabalha no planejamento para o retorno das Séries A2 e A3, e da mesma forma, tem representante na equipe médica que toma as decisões quanto aos retornos.
Os campeonatos brasileiros começaram e trouxeram desde a primeira rodada vários problemas, que mostram um alto risco de contaminação pelo coronavírus e coloca em risco tanto a saúde quanto a vida dos atletas profissionais e demais membros das equipes.
Mais uma vez, a categoria mostra que necessita da atuação do sindicato paulista por não possuir uma entidade que possa representá-la nacionalmente.
Desta forma, o Sindicato de Atletas SP enviou no dia 11 de agosto, um documento que solicita que a CBF mude sua estratégia para que os campeonatos possam prosseguir. Para isso toma por base dois exemplos utilizados e com sucesso pelo mundo: o primeiro na Alemanha, em que os jogadores se isolam e testam para o covid-19, mas com o tempo hábil para que os resultados possam ser aproveitados ou seguimos e o segundo vem da NBA americana, que isolou totalmente os jogadores e demais membros dos times para que a competição transcorra com um risco mínimo.
Portanto, na visão do Sindicato de Atletas SP e com base nas condições de nosso país, reforçada pela posição responsável da medicina, entre elas, a do próprio Dr. Renato Anghinah, o retorno do futebol brasileiro só seria possível por um desses dois caminhos.
Conforme o Secretário Geral da CBF, Walter Feldman, declarou, a prioridade é a preservação da saúde dos jogadores e o Sindicato de Atletas São Paulo espera que a solicitação (abaixo em anexo) seja atendida.
Em caso de resposta negativa, para a entidade dos jogadores paulistas não restará alternativa a não ser o já conhecido caminho do judiciário.
O Sindicato de Atletas SP espera que a CBF, ao menos dessa vez, surpreenda e faça a coisa certa.

Lance!

Share on Google Plus

Inicio Esporte do Vale

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador