STJD nega recursos de SP Crystal, Treze e Sport Lagoa Seca, e pontuação do Paraibano segue inalterada

Egon já foi até dispensado pelo Atlético de Cajazeiras — Foto: Kyioshi Abreu / Atlético de Cajazeiras
A tabela do Campeonato Paraibano segue intacta, sem alterações nas pontuações dos clubes. Nessa segunda-feira, o Pleno Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), por unanimidade, negou o conhecimento de um recurso interposto pelo São Paulo Crystal e outro por Treze e Sport Lagoa Seca. Em síntese, o tribunal não conhece os três clubes como terceiros interessados em um processo nos quais eles acusam CSP e Atlético de Cajazeiras de utilizarem jogadores de maneira irregular no estadual deste ano.
Com isso, o entendimento do Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB) segue sendo soberano sobre o caso: os processos que julgaram e puniram com suspensão o zagueiro Egon, do Atlético de Cajazeiras, e Negueba, do CSP, não deram o amplo direito de defesa aos réus e, por isso, foram extintos.
Para o tribunal estadual, os atletas não jogaram de maneira irregular no Campeonato Paraibano deste ano. Os processos, no entanto, voltarão para as comissões disciplinares, e os atletas deverão ser julgados novamente, podendo pegar novos ganchos.
Com a decisão do STJD, o Atlético de Cajazeiras se mantém como líder do Grupo A do Campeonato Paraibano, com 18 pontos, e o CSP continua como vice-lanterna do Grupo B - fora da zona de rebaixamento - com sete pontos.
Entenda a situação
Na temporada passada, na semifinal da 1ª divisão do Campeonato Paraibano, contra o Campinense, Egon não chegou a ser expulso, mas o árbitro Wagner Reway declarou, em súmula, um empurrão do defensor do Atlético-PB em um gandula. O caso foi para julgamento, realizado em junho de 2019, e o zagueiro pegou um gancho de duas partidas. Como o Trovão Azul não recorreu da decisão, o Sport-PB defende que o jogador atleticano atuou mesmo irregular neste ano e, por isso, pede a perda de 28 pontos do adversário.
 Negueba foi expulso em seu último jogo pela 2ª divisão do Campeonato Paraibano do ano passado, quando ainda defendia a Queimadense. Ele levou cartão vermelho direto no confronto contra o São Paulo Crystal, em outubro de 2019.
O julgamento de Negueba - Emerson Ramon Oliveira -, no entanto, só aconteceu no dia 28 de janeiro deste ano. O atleta pegou um gancho de um jogo. O jogador não teve defesa, já que a Queimadense não enviou advogado. A essa altura, Negueba já não era mais jogador do Carcará, estava contratado pelo CSP e já tinha feito dois jogos pela 1ª divisão com a camisa do Tigre de maneira totalmente regular, já que esses compromissos foram antes do julgamento.
Nesse processo, o Tricolor pede que o Tigre seja punido com base no artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que trata sobre escalação irregular. O clube de Cruz do Espírito Santo requer uma punição de perda de nove pontos ao clube de João Pessoa.

Por GloboEsporte.com 
João Pessoa
Share on Google Plus

Inicio Esporte do Vale

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador