Coluna de Eduardo Araujo: COVID-19 Protocolos

Apesar dos impactos da COVID19 continuarem se alastrando pela humanidade, algumas Ligas buscam formas de convencer seus Governos a liberar o regresso das competições e autorizaram os times para retornar treinamentos.
Entretanto, não há qualquer partida marcada e ainda que voltem será de portões fechados, com foco na manutenção de patrocinadores e das cotas de televisão, maiores receitas.
A volta das atividades pelo mundo, com exemplo da China, Alemanha e Portugal, é pautada em peculiaridades constantes de protocolos específicos, buscando evitar o contágio e a disseminação do vírus que tem abalado o mundo em todos os segmentos.
Uma dos aspectos comuns em todos os protocolos é a imperatividade da realização de testes nos profissionais envolvidos, bem como o isolamento daqueles infectados e dos que com ele tiveram contato.
Assim, apenas esse requisito já gerou dificuldades práticas para o retorno do futebol. Na Alemanha, dez profissionais testaram positivo, criando um embate entre a Liga e o Ministério da Saúde, pois o Governo determina uma quarentena de catorze dias para todos os que tiveram contato com qualquer pessoa com teste positivo, atrapalhando a volição da Bundesliga de retornar as partidas sem a presença de público para o fim de Maio.
É de bom alvitre destacar que nenhum Governo liberou a realização de partidas, apenas em casos específicos tem sido realizadas a volta dos treinamentos aguardando a definição acerca da liberação da prática do futebol para encerramento das Ligas que não foram canceladas, como destacadas na coluna da semana anterior.
Na China, nosso representante tabajara famoso, Hulk, noticiou o retorno dos treinamentos após cinco meses do começo da epidemia, porém sem data marcada para a volta das competições. Em Portugal, todas as competições foram canceladas, com exceção da Primeira Liga, que busca aprovação de protocolo sanitário para em oito semanas encerrar as dez rodadas e a final da Taça.
Alguns aspectos dos protocolos merecem destaque: inicialmente treinos individuais, com uma bola e uma garrafa de hidratação por atleta; os jogadores deverão chegar individualmente em seus carros, com a roupa de treinamento e seguir para o campo isoladamente e permanecerão sem contato com colegas; não serão utilizados os vestiários; entre outros.
No Brasil, com uma verdadeira operação de guerra, o Inter de Porto Alegre foi o primeiro time a abrir suas hostes para os atletas, ainda que sem partida marcada. Todavia, o prefeito deu um banho de água fria na esperança dos que anseiam em ver seus times em campo novamente, estimando ser impossível a realização de competições que exijam contato em 2020.
No cenário estadual, os Governos Estadual e Municipais, em conjunto com o Ministério Público, colocaram terra na previsão de retorno das atividades em Maio, dada a majoração dos casos e de mortes decorrentes do COVID 19.
Outrossim, fica nítido inexistir estrutura física, técnica e financeira do nosso futebol para atender os requisitos dos protocolos criados, o que também impossibilitaria a finalização do Campeonato Paraibano enquanto durar os efeitos nefastos da pandemia.

Eduardo Araújo
Advogado
eduardomarceloaraujo@hotmail.com
Share on Google Plus

Inicio Esporte do Vale

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

1 comentários:

  1. Apenas uma pequena ressalva, existe apenas um único campeonato nacional que nunca parou em todo o planeta: Bielorússia.

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador