Meia da Ponte Preta, João Paulo relembra histórias do início de carreira no futebol paraibano defendendo a Desportiva Guarabira

Meia da Ponte Preta, João Paulo relembra histórias do início de carreira no futebol paraibano Foto: Álvaro Jr/ Ponte Press)
Meia da Ponte Preta nesse início conturbado de Campeonato Paulista, João Paulo segue se preparando dentro de casa enquanto o futebol brasileiro não é retomado. O paraibano admitiu que a temporada da Macaca não estava sendo das mais fáceis, mas acredita que a equipe vai dar a volta por cima após a pandemia do novo coronavírus. Natural de Guarabira, o jogador conversou com a nossa reportagem e relembrou algumas histórias do início de sua carreira, quando vestia a camisa da Desportiva Guarabira no Campeonato Paraibano.
João Paulo fala sobre período de quarentena, momento da Ponte Preta e lembra início de carreira na Desportiva Guarabira.
João Paulo começou a carreira no Azulão do Brejo no ano de 2011. Logo em sua primeira partida, o jogador marcou o gol que salvou a Desportiva Guarabira de uma derrota em casa para o CSP. O jogador lembra da partida contra o Tigre como se fosse hoje.
Na minha estreia, em Guarabira, contra o CSP, eu consegui marcar um gol no segundo tempo, empatando a partida que estava 1 a 0 para o adversário. Quando fomos para o vestiário, acho que o presidente me pediu para dar a entrevista. Eu não queria ir, não sabia o que falar, sempre fui muito tímido. Mas acabei indo e dei a entrevista. Isso é uma lembrança boa que eu tenho – conta João Paulo.
Naquela temporada, não teve jeito, a Desportiva Guarabira acabou rebaixada para a 2ª divisão do Paraibano. Porém, a carreira de João Paulo seguiu um caminho diferente, afinal, ele deixou o estado para, até o momento, não voltar.
Apesar do rebaixamento, João Paulo lembra com muito carinho daquela marcante jornada no primeiro ano como jogador profissional. O seu bom desempenho fez seguir para outros clubes de futebol pelo Brasil, até chegar a afirmação.
Eu só joguei um Campeonato Paraibano na minha carreira, foi o de 2011. Eu iniciei aquela competição como titular. Não lembro quantos jogos eu joguei, mas lembro que marquei seis gols e ainda dei seis assistências. Eu sou muito grato a Desportiva por ter me proporcionado esse momento de realizar o sonho de jogar futebol – agradeceu João Paulo.
Depois disso, João Paulo passou por diversos clubes do país, como Globo FC, Sergipe, Coruripe, ASA, Tombense, Santa Cruz e Atlético Goianiense. Na temporada passada, ele esteve no elenco do Avaí, que foi campeão estadual, mas teve um fim de ano melancólico com o rebaixamento na Série A do Campeonato Brasil.
Para o jogador, fazer parte de um grupo campeão, sem dúvida, marcou demais. No dia da grande final, que garantiu a conquista do Leão, o jogador teve um outro motivo para ficar ainda mais emocionado.
Ano passado, no Avaí, foi um ano muito bom. Foi bastante proveitoso. E foi marcante porque, no Campeonato Catarinense, a minha mãe estava no estádio no dia que fui campeão. Ela estava junto com a minha esposa e com o meu filho. E, por mais que a equipe não foi bem no Brasileirão, individualmente, foi um ano bem gratificante – disse João Paulo.
Início na Ponte Preta
Para esta temporada, o meia assinou com a Ponte Preta. Em 12 jogos disputados, ele marcou um gol. Mas o fato é que a campanha da Macaca no Paulistão não tem sido das melhores. O time é apenas quarto colocado no Grupo A, atrás de Santos, Oeste e Água Santa.
O jogador ainda aproveitou para mandar um recado ao torcedor da equipe de Campinas, garantindo que as coisas vão melhorar.
A Ponte Preta não começou tão bem a competição, não estamos numa posição favorável. Mas eu creio que, com a volta, a gente vai poder dar o nosso melhor para tirar o time dessa situação que está. Eu tenho contrato até o final do ano. Espero cumprir, é o meu grande objetivo. Acredito que todos nós vamos ter bastante alegria no fim de 2020 – espera.
Período em quarentena
Com a paralisação do futebol, João Paulo e todos os demais atletas de futebol do país vão tendo que se virar em casa. Ele relata o dia a dia em sua residência, como tem aproveitado com a família. No entanto, é inegável: sente falta dos gramados.
Esse período de quarentena está sendo bastante difícil. Não só para mim, mas para toda a população. Eu creio que isso vai passar o mais rápido possível para a gente voltar à normalidade. O mais importante agora é a nossa saúde. Mas bate aquela saudade de estar treinando, de estar jogando, do vestiário. Eu tenho treinado na medida do possível, em casa. Também tenho brincado com meus filhos, assistido filmes, aproveitado bem a família.
Saudades de Guarabira
Aos 29 anos, o jogador ainda tem muita lenha para queimar. Nesta temporada, espera que a Ponte Preta dê a volta por cima para brigar pelo acesso no Campeonato Brasileiro da Série B. Contudo, o paraibano sente saudade de casa sim. Ele, que é natural de Guarabira, relatou que costuma voltar para o Brejo toda vez que pode. Nas férias, voltar para perto da mãe é uma das certezas.
Eu moro em Guarabira. Todo fim de ano, passo férias por lá, a minha mãe mora lá. Eu penso, um dia, em voltar ao futebol paraibano, jogar um estadual. Mas vai haver o melhor momento. Se um dia, eu tiver oportunidade de voltar, voltarei com o maior orgulho de representar o meu estado – completou.

Por GloboEsporte.com 
João Pessoa
Share on Google Plus

Inicio Esporte do Vale

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador