Causos & Lendas do Nosso Futebol: Dez registros importantes do nosso futebol



Três desportistas sonhadores, Jonatas Figueiredo de Souza, Renato Queiroz Fernandes e José Walter Marinho Marsicano (Tereré), no dia 09 de setembro de 1949, sentados na Praça Odon Bezerra, Bairro de Tambiá, Fundaram o Santos Futebol Clube.
No dia 29 de novembro de 1964, Edilson Brandão de Lucena, o popular “Dissor”, ponta direita e goleador marcou o primeiro gol do Estádio Municipal José Cavalcanti, da cidade de Patos; vestindo a camisa do Nacional e enfrentando o rival Esporte. Aquele jogo festivo terminou com a vitória por 2 x 1 para o canário do sertão.
O primeiro jogo oficial do Treze Futebol Clube, foi realizado contra o Palmeiras local, no antigo campo das instalações da Sanbra, terminando com a vitória do “Galo” por um tento a zero, gol marcado por Plácido Veras Guiné.
Na metade da década de 70, surgiram em João Pessoa duas torcidas organizadas, A Força Jovem e a Torcida Organizada do Botafogo – TOB, ambas com a finalidade de promover e torcer pelo Botafogo. Eram jovens estudantes, rapazes e moças, que abrilhantavam ainda mais o espetáculo, com fogos, papel picado, uma batucada e com comportamento civilizado.
Em 1958 o Confiança Esporte Clube, da cidade de Sapé, disputou pela primeira vez o campeonato paraibano de futebol, logo em seguida voltou a ser uma equipe amadora, disputando as competições locais e jogos amistosos contra as equipes profissionais da Paraíba.
Genival Batista, auxiliado por Jair Pereira e Abdias Bonifácio foi o trio de arbitragem que comandou o jogo Auto Esporte Clube 0 X 3 Clube de Regatas Flamengo, partida festiva que inaugurou os refletores do Estádio Almeidão, no dia 15 de agosto de 1975. O clube do povo jogou naquela noite com Fernando, Adalberto, Silva, Zuca e Chico Alicate. Nena, Marcílio e Augusto.  Abel, Jerúsio e Catê.
Nos anos de 1958, 59 e 60 o Íbis Futebol Clube, o famoso pássaro preto da Torrelândia, participou do campeonato paraibano de profissionais. Nos anos seguintes, aquela tradicional agremiação passou a dedicar-se ao futebol amador, revelando grandes jogadores para o nosso futebol.  
 Em 1943 o Esporte Clube Cabo Branco, campeão paraibano em 10 (dez) competições, resolveu dissolver o seu departamento de futebol profissional e passar a priorizar as modalidades amadoras, onde virou um dos destaques no cenário nordestino.
No dia 03 de novembro de 2013, um domingo ensolarado e inesquecível, o Botafogo Futebol Clube, jogando no Almeidão, enfrentou e venceu a forte equipe do Juventude, do Estado do Rio Grande do Sul, por dois tentos a zero. Com esse resultado, a equipe da Maravilha do Contorno conquistou o título brasileiro da série D.
Nos anos de 1942 e 43 quem reinou no nosso futebol foi o extinto Clube Astréa, o famoso “Alviceleste de Tambiá”. Para conquistar o bicampeonato paraibano, ele venceu na decisão o Treze Futebol Clube e o Esporte Clube Cabo Branco, respectivamente. O detalhe dessa conquista foi o fato de sua diretoria ter contratado o técnico estrangeiro Carlos Viola e vários jogadores da Bahia.

Serpa Di Lorenzo
Auditor do TJDF PB e da ACEP e APBCE
falserpa@oi.com.br 

Share on Google Plus

Inicio Joao Henrique

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador