Após 48 anos, Brasil fica sem pilotos na F1 2018

 
Jovens pilotos poderão serem o futuro do Brasil na F1
A temporada de 2017 marcou o fim de uma era de quase 50 anos na Fórmula 1. Em 2018, será a primeira vez desde 1970 em que a principal categoria do automobilismo não contará com a presença de pilotos brasileiros.
Felipe Massa foi o último a representar o país, após anunciar sua aposentadoria da F1 no ano passado. O piloto se despediu da categoria depois de 269 Grandes Prêmios disputados e 11 vitórias conquistadas ao longo de 15 anos na modalidade.
A história do Brasil na Fórmula 1 começou na década de 1950, quando o país teve quatro representantes – com destaque para Chico Landi. A era brasileira na elite do automobilismo, no entanto, teve início mais tarde com Emerson Fittipaldi.
Em 1969, ele foi tentar a sorte na Europa e com vitórias na Fórmula Ford e na F3, foi promovido à F2 no ano seguinte, na qual disputou três das quatro primeiras etapas do campeonato de 1970. Seu bom desempenho lhe rendeu sua estreia na elite automobilística no GP da Inglaterra de F1 naquele mesmo ano.
A temporada inaugural de Fittipaldi abriu as portas para outros brasileiros. Até a estreia de Ayrton Senna, em 1984, onze pilotos do país já haviam passado pela categoria. E este número só aumentaria nos anos seguintes.
Até os dias de hoje, 31 brasileiros disputaram a F1, sendo 27 deles desde Fittipaldi. Foram 48 temporadas ininterruptas com ao menos um piloto brasileiro no grid, marca esta que coloca o Brasil no mesmo patamar de Grã-Bretanha, Itália e Alemanha, principais potências na modalidade.
A última vez que o Brasil subiu ao lugar mais alto do pódio foi há quase nove anos, no GP da Itália de 2009, após uma vitória de Rubens Barrichello. E precisará esperar pelo menos mais um ano para voltar a triunfar.
A temporada de 2018 pode até não ter brasileiros, mas o país conta com vários jovens talentos que podem ser o futuro do Brasil na elite do automobilismo. A caminhada até a F1 é longa – e cara – mas também promissora. Confira os destaques.
Pietro Fittipaldi
Aos 21 anos, Pietro já conquistou o título da última temporada da World Series e disputará sete provas na Fórmula Indy em 2018, incluindo a tradicional 500 Milhas de Indianápolis, onde seu avô, Emerson Fittipaldi, fez história ao se tornar o primeiro brasileiro a vencer a prova. O jovem piloto inclusive já destacou seu grande desejo em disputar a F1 e se disse preparado para isso.
Sérgio Sette Câmara
Com 19 anos, Sette Câmara é talvez o mais promissor e próximo da vaga na principal categoria automobilística dentre todos os brasileiros. Em 2016, o brasileiro teve a oportunidade de dirigir um F1 pela primeira vez em um teste oficial com a Toro Rosso após o GP da Grã-Bretanha, em Silverstone.  Neste ano, ele correrá pelo segundo ano seguido na Fórmula 2, principal categoria de acesso à F1, em uma equipe de ponta, a Carlin Motorsport.
Matheus Leist
Após bom desempenho, com três vitórias, na categoria de acesso à Indy, a Indy Lights, Leist foi promovido à categoria principal. Aos 19 anos, o gaúcho impressionou com uma boa atuação na pré-temporada da Indy, trabalhando em conjunto com o experiente companheiro de equipe Tony Kanaan. Além disso, foi campeão da F3 Inglesa em 2016.

Gazeta Esportiva
Share on Google Plus

Inicio Joao Henrique

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador