Sem salários há três meses, jogadores do ABC fazem greve e não treinam

 
Felipe Augusto lê a decisão tomada pelo grupo de jogadores do ABC (Foto: Hugo Monte/GloboEsporte.com)
Sem receber salários há três meses, os jogadores do ABC paralisaram as atividades nesta segunda-feira. A decisão foi anunciada durante entrevista coletiva do presidente do Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado do Rio Grande do Norte, Felipe Augusto Leite. Ficou estipulado um prazo de 48 horas para que a direção do clube quite a dívida ou apresente, pelo menos, uma proposta para o pagamento, o que será debatido em uma nova assembleia até quinta-feira. Se não houver uma solução, o grupo de atletas não participará do jogo contra o Londrina, sábado, no Frasqueirão - o que implicaria em uma derrota por W.O.
- É uma decisão muito difícil, pela primeira vez tomada no Brasil, com relação à entrada de uma categoria de jogadores em absoluto estado de greve. A medida visa fazer, rigorosamente, que o clube resolva essa questão financeira, que está insuportável - declarou Felipe Augusto, que também é presidente da Federação Nacional dos Atletas Profissionais (Fenapaf).
A maioria dos jogadores não recebe salários desde julho - alguns desde junho -, e o clube também deve auxílio-moradia, direito de imagem, previdência social, além de premiações do Campeonato Potiguar e da Copa do Brasil. De acordo com o presidente do Safern, alguns atletas - não identificados - foram ameaçados de despejo e também são cobrados por dívidas em padarias e restaurantes onde realizam refeições. Os funcionários de outros setores do clube também estão com salários atrasados.
Quanto ao atraso, os jogadores vêm dialogando há meses com a diretoria e a resposta que obtiveram foi que o "dinheiro acabou", conforme falou o presidente do Safern, que agora será o responsável pela negociação com o clube. O Ministério Público do Trabalho também será oficiado para que tome conhecimento do caso.
- Esta paralisação já deveria ter ocorrido na última semana, mas eles (jogadores), com muita dignidade, fizeram os jogos contra o Guarani e o Náutico. O presidente (Judas Tadeu), lá em Caruaru, falou que não tinha solução para o problema - comentou.
Em último caso, se não houver uma resolução, os jogadores também autorizaram o Safern a realizar uma ação civil pública para uma rescisão coletiva e o recebimento de todas as verbas rescisórias. Felipe Augusto lembra ainda que a Lei Pelé autoriza que o atleta deixe de jogar a partir do segundo mês de salário atrasado.
- A pretensão (dos jogadores) é voltar imediatamente às atividades. Agora é a vez do clube tomar uma decisão de resolução desse problema. O sindicato está à disposição do clube para encontrar uma solução, amigável, se possível - disse Felipe Augusto.
Ata da assembleia realizada pelo Safern com os jogadores do ABC, antes da coletiva (Foto: Hugo Monte/GloboEsporte.com)
Após a vitória por 2 a 1 sobre o Náutico, na sexta-feira, a reapresentação da equipe estava marcada para as 15h desta segunda-feira, justamente o horário que foi iniciada a coletiva. Os jogadores não quiseram falar com a imprensa com receio de retaliação.
Com o rebaixamento iminente, o ABC é o lanterna da Série B, com 25 pontos. Nos últimos três jogos, o Alvinegro demonstrou uma pequena reação, conquistando sete dos nove pontos disputados. Para escapar da degola, a equipe precisa vencer as sete partidas restantes.

Por Globoesporte.com
Natal-RN

Share on Google Plus

Inicio Joao Henrique

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador