Prefeitura de JP contesta versão dos árbitros sobre problemas no Tomazão

A Secretaria de Juventude, Esporte e Recreação (Sejer) da Prefeitura Municipal de João Pessoa rebateu, nesta sexta-feira, as críticas feitas pelo árbitro João Bosco Sátiro sobre a estrutura do Tomazão, na capital. De acordo com nota divulgada pela Sejer, o estádio dispõe de "ótimas condições para uso da equipe de arbitragem". João Bosco Sátiro, no entanto, relatou na súmula da partida entre Internacional-PB e Paraíba, na última quarta-feira, que ele e seus companheiros de arbitragem não tiveram acesso a um vestiário adequado, nem espaço com iluminação apropriada.
A Sejer decidiu se posicionar após a súmula da última partida realizada no Tomazão se tornar pública. A Secretaria de Esportes de João Pessoa, que é responsável pelo estádio, garante que o local tem tudo o que os árbitros precisariam utilizar durante o trabalho, inclusive "banheiro equipado com chuveiro e iluminação, salas administrativas e vestiário em ótimas condições". Isso diverge do que foi alegado pela equipe de arbitragem da partida, que disse ter sido avisada que o vestiário destinado a ela estava interditado e, por isso, teve que usar um banheiro social para trocar de roupa.
Através da nota, no entanto, a Sejer assegura que é outra parte do estádio que está interditada, e não o vestiário dos árbitros. De acordo com a Secretaria, "o espaço que está interditado para reparos na cobertura do piso e em parte da instalação hidráulica é destinado para uso dos atletas que necessitem de recuperação muscular - contando com 12 banheiras de hidromassagem -, e não para uso exclusivo dos árbitros".
A Sejer assegurou ainda que a administração do estádio ofereceu para os árbitros "um banheiro (...), sala para vestuário, sala administrativa para anotações referentes à partida, equipada com iluminação, mobília e geladeira".
Fato é que a equipe de arbitragem trocou de roupa no chão de um banheiro social do estádio, fez anotações pré-jogo em uma sala mal iluminada e, no intervalo, ficou à beira do campo, alegando não ter um espaço apropriado para o descanso.
Além disso, os árbitros chegaram a comentar que precisariam ir para casa sem tomar banho após a partida. A Sejer, no entanto, alega na nota que "a opção de fazer o trabalho de anotações, pós-jogo, fora do local foi do árbitro João Bosco Sátiro".
Confira na íntegra a nota emitida pela Sejer nesta sexta-feira:
"A Secretaria de Juventude, Esporte e Recreação (Sejer) da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), esclarece que o Centro de Treinamento (CT) Ivan Tomaz dispunha de banheiro equipado de chuveiro e iluminação, salas administrativas e vestiário em ótimas condições para uso da equipe de arbitragem, na partida entre Internacional e Paraíba, realizada na noite da última quarta feira (11).
Esclarece também que o espaço que está interditado para reparos na cobertura do piso e em parte da instalação hidráulica é destinado para uso dos atletas que necessitem de recuperação muscular - contando com 12 banheiras de hidromassagem -, e não para uso exclusivo dos árbitros.
Para estes profissionais a administração do equipamento ofereceu um banheiro para necessidades fisiológicas e de higiene, sala para vestuário, além de uma sala administrativa para as anotações referentes à partida, equipada com iluminação, mobília e geladeira. A opção de fazer o trabalho de anotações, pós-jogo, fora do local foi do árbitro João Bosco Sátiro.
Vale ressaltar que o Centro de Treinamento (CT) Ivan Tomaz, no Valentina de Figueiredo, foi aprovado mais uma vez para sediar jogos do Campeonato Paraibano de Futebol Profissional. O equipamento pertence à Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) e é administrado pela Secretaria de Juventude, Esporte e Recreação (Sejer)".

Por GloboeEsporte.com
João Pessoa
Share on Google Plus

Inicio Joao Henrique

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador