FPF envia laudos à CBF e tenta liberar o Marizão para o Sousa na Série D

Sete dias. Esse é o prazo que o Sousa tem para reverter a decisão da CBF, que marcou sua estreia na Série D do Brasileiro, contra o Globo FC, para o Estádio Amigão, em Campina Grande, a mais de 300km de sua sede. E a diretoria do Dinossauro já iniciou a investida para conseguir mandar seus jogo no Marizão. Na manhã desta segunda-feira, o presidente Aldeone Abrantes se reuniu com o procurador de Justiça, Valberto Lira, que também é presidente da Comissão Estadual de Prevenção e Combate à Violência nos Estádios, e com o presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Amadeu Rodrigues. Os dirigentes enviaram à CBF laudos que comprovariam que o Marizão tem condições de receber partidas oficiais.
De acordo com Amadeu, esses laudos deveriam ter sido entregues à CBF 10 dias antes do início da Série D. Ou seja, o prazo expirou na última quinta-feira (2). Mas o presidente da FPF explicou que o problema foi ocasionado pelo atraso no Campeonato Paraibano, devido à ação impetrada pelo Treze, que paralisou a competição por 15 dias. Isso fez com que a indicação dos clubes da Paraíba para a Série D demorasse. Amadeu explicou que estava na Federação quando recebeu uma ligação da CBF informando que o Regulamento Geral de Competições pedia que os laudos fossem enviados 10 dias antes do início do campeonato para marcar os jogos e que, como isso não aconteceu, o jogo de estreia do Sousa, contra o Globo FC, no próximo domingo, seria marcado para o Amigão.
- Quando a Federação indicou o Campinense e o Sousa, o prazo era muito curto. A gente não tinha enviado ainda os laudos do Marizão por causa da indecisão do Paraibano. Estamos aqui para tratar disso. Nós temos uma semana até o jogo e vamos trabalhar. Já enviamos, inclusive, os laudos. Nós já tivemos outros problemas assim. E a Federação, junto com o Ministério Público, conseguiu resolver uma questão do Almeidão, com relação às obras do entorno, em tempo hábil. Nós já enviamos os laudos (do Marizão) e as certidões negativas para o Departamento de Competições da CBF, e eu já liguei para lá. A gente vai trabalhar para ver se consegue fazer isso ainda hoje - explicou Amadeu.
O caso do Almeidão a que Amadeu se refere aconteceu após a estreia do Botafogo-PB na Copa do Nordeste, contra o Sport. Na ocasião, após confusão entre as torcidas dos dois clubes, a CBF chegou a emitir um comunicado oficial, determinando que o Belo não mandasse mais os seus jogos no Almeidão. Mas, a partir de uma mobilização entre Governo do Estado e FPF, a situação foi revertida e o Alvinegro de João Pessoa pôde jogar em casa durante toda a competição.
- Os laudos de engenharia e registro do Estádio Marizão são os mais completos. Nós temos o laudo de segurança e o de prevenção a incêndio e pânico do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar. Tem certas restrições, nós sabemos, mas isso não inviabiliza a realização dos jogos do Sousa na Série D no Marizão, até porque já existe todo um planejamento, e os jogos que lá ocorrerão terão o sistema de segurança garantido na sua totalidade. Então nós não vemos por que o Sousa não pode ter os jogos do seu clube realizado lá na sua cidade - ressaltou Valberto Lira.
Dinossauro confiante
Apesar do revés, o presidente do Sousa, Aldeone Abrantes, está confiante que vai conseguir estrear diante da sua torcida. Para isso, citou o Estatuto do Torcedor, ao falar que o clube tem até 72 horas antes da partida para fixar o local.
- Estou convicto de que a gente vai estrear em casa. Nós estamos fundamentados. As coisas estão sendo esclarecidas. Em outras ocasiões, foram resolvidas, como na véspera do jogo do Botafogo. O Sousa é uma equipe que tem todas as suas certidões regulares. Nós encaminhamos todos os documentos - argumentou o dirigente.
Aldeone ainda lembrou que o Marizão foi reformado no ano passado e dobrou a sua capacidade de público, que agora é de aproximadamente 11 mil torcedores.
- Falaram do gramado. Não está 100%, mas também não é um dos piores do Brasil. Então não vejo nenhuma razão para se prejudicar uma cidade que sonha com a Série D. Não é possível que sejamos piores do que o restante do país, para sermos os únicos vetados. Temos fé que a nossa cidade vai ver a Série D. Nós vamos fazer uma grande festa no domingo. O torcedor está motivado e a La Bombonera do Sertão vai funcionar. O caldeirão vai ferver e o Sousa vai subir pra Série C. Pode cravar aí - disparou.

Globoesporte.com
Share on Google Plus

Inicio Joao Henrique

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado em breve após ser analisado pelo administrador